Escrito por José Borlido

ABERTURA DA ESCOLA DO MCC 2020 SITE MCC f1Teve lugar no passado dia 12 de outubro, pelas 21,15 horas no Auditório do Centro Paulo VI em Darque, a sessão de abertura da “Escola do MCC”.

A Sessão teve início com a celebração de uma Eucaristia, presidida pelo Diretor da Escola Monsenhor Manuel José da Costa Azevedo Vilar e concelebrada pelo Assistente Espiritual do Movimento, Padre Manuel José Torres Lima, em sufrágio de D. Anacleto.

Na homília o Monsenhor Vilar, convidou todos os presentes e todos os Cursilhistas e não Cursilhistas« que também podem frequentar a Escola» a que venham à Escola, pois todos sairemos mais enriquecidos, tendo concluído: tal como cantamos “Somos as Pedras Vivas do Templo do Senhor” e queremos ser pedras vivas e trazer outros para que sejam pedras vivas do mesmo Templo do Senhor.

Escrito por José Borlido

A 8ª. Sessão de Escola do MCC, realizou-se no dia 17 de fevereiro de 2020, sendo conferencista a Presidente do Secretariado do MCC; Maria da Conceição Carvalhido da Ponte que apresentou o tema: O MCC na sua relação com os ambientes.

A Conferencista começou por fazer uma retrospetiva sobre os cursilhos de cristandade e da sua própria dificuldade em responder à mais tempo ao convite do Senhor para fazer a maravilhosa experiencia de um Cursilho de Cristandade.

Salientou que a essência dos Cursilhos é Jesus Cristo, referindo que a evolução da MCC ao longo dos tempos, acompanhou a evolução da Própria Igreja e da sociedade, salientando que o carisma do MCC é atual, não está em desuso e é reconhecido pela Igreja, através dos Papas como S. João Paulo II que numa Ultreia Europeia referiu: mantende-vos sempre fiéis ao vosso carisma.

Escrito por José Borlido

2020 03 02 00002A 9ª. Sessão de Escola do MCC, realizou-se no dia 2 de março e teve como conferencista o Padre Bruno Gonçalves, que abordou o tema: “Não vim chamar os justos, mas sim os pecadores” (Mc.2,17b) - Acolher à maneira de Jesus

O Padre Bruno começou por realçar a misericórdia de Jesus sobre o ser humano, sintetizada na passagem do Evangelho em que o Senhor diz: “Não foram os justos que Eu vim chamar, mas os pecadores” O amor misericordioso e gratuito que brota em Jesus e a misericórdia que aproxima e acolhe os pecadores reconciliados com Deus. Perdoar, acolher é sinal de fortaleza e mostra a vontade de restaurar o pecado.

Escrito por José Borlido

2020 02 03   escola padre daniel 3A 7ª. Sessão de Escola do MCC, realizou-se no dia 03 de fevereiro, em que foi conferencista o Padre Daniel Rodrigues, que abordou o tema: Acolhimento e Comunhão Eclesial – Paróquia e Movimentos.

O Conferencista começou por vincar uma passagem do Evangelho em que o Senhor diz: “Eu não vim chamar os justos, vim chamar os pecadores”.

Amor gratuito que brota em Jesus, em cuja misericórdia é superior à lei, perdoar e acolher é sinal de fortaleza, mostra a vontade de retribuir ao pecador a oportunidade de restaurar o pecado.

A misericórdia aproxima e acolhe os pecadores com Deus. A verdadeira Igreja é composta por muitos pecadores; nada mais sagrado no Evangelho do que a Misericórdia.