Escrito por José Borlido

2018 01 22 00001Teve lugar pelas 21,15 horas do dia 22 de janeiro de 2018, no Centro Paulo VI em Darque, a 6ª. Sessão de Escola do MCC, em que foi palestrante o Sr. Padre; José Domingos Oliveira Gomes; Ecónomo Diocesano e Pároco das Paróquias de Barroselas e Carvoeiro; que apresentou o tema: «A Diocese como incarnação da Igreja de Cristo».

O palestrante começou por invocar a Lúmen Gentium do Concílio Vaticano II, que refere Paróquia como sendo comunhão de comunidades congregadas em redor dos seus Pastores.

A Igreja “Reino de Cristo” cresce no amor de Deus que nos envia Cristo, para realizar a missão do Pai. Esta Igreja é necessária para a salvação do mundo, onde o homem entra pelo Baptismo e para obter a salvação tem que preservar nela e ser testemunho dela no mundo.

O Sumo Pontífice “Santo Padre” é que governa por meio dos presbíteros e dos Bispos; a vontade de Deus é a salvação que nos envia Cristo que funda a Igreja, se a ela não corresponderem com actos e fé, não serão salvos e serão julgados; Cristo confiou aos Apóstolos a missão de salvação.

O Concílio refere que a condição Episcopal é que rege e preside a uma Igreja particular “a Diocese”. Ser Bispo é pertencer ao colégio dos Bispos, ser cabeça da Igreja particular “sua Diocese” presidir e ser pastor à imagem de Cristo, sendo o rosto e a pertença de Cristo na sua Igreja particular. O Concílio vaticano II refere: Os Bispos governam as Igrejas particulares que lhe foram confiadas, como vigários e legados de Cristo, sendo a preocupação do Bispo toda a Igreja e não apenas a sua Diocese.

As funções próprias da vida da Igreja, realiza-se com pessoas concretas, na Igreja particular (Lúmen Gentium 33” por isso Cristo fundou a Igreja particular que depois fundou as diversas Igrejas particulares, que constituem Igreja Universal.

A Igreja particular é o rosto da Igreja Universal, onde existe a “Comunhão em Igreja e em Sacramentos”. A Diocese não existe sem Pastor que é o seu Bispo.

O Padre Domingos Gomes fez em seguida uma síntese sobre a Diocese, começando por referir que como atrás foi referido, é uma Igreja particular, ou local cuja autonomia não deixa de viver em «comunhão com a Igreja Universal; Santa Sé em Roma». Onde está uma Diocese com o seu Bispo, Sacramentos e Pastores, aí está a Igreja de Cristo.

A Canon 29 refere que a Diocese é a porção do povo de Deus confiada ao seu Bispo para ser apascentada com o seu Presbitério. A Diocese é a estrutura histórica que personifica a Igreja de Cristo presente num determinado lugar.

A Diocese é a comunidade confiada ao Bispo, cabeça da Igreja particular, em comunhão com as outras Igrejas Diocesanas e seus Bispos e o Sumo Pontífice, o Papa em Roma; Sem essa união às várias Igrejas Diocesanas e a comunhão com a Santa Sé, não existia Igreja particular.

Só teremos “Igreja Rosto de Cristo” se mantivermos a comunhão de irmãos e a vivência da celebração da Eucaristia /Sacramentos

Padre Domingos Gomes, terminou a sua reflexão com o desejo de que os 40 anos da nossa Diocese, desperte em nós o propósito de maior comunhão e vivência dos Sacramentos nesta Igreja do Senhor Jesus, que é a Diocese de Viana do Castelo.